Filho do deus Apolo e da ninfa Calíope, Orfeu era o mais talentoso de todos os poetas e músicos. Encantava até mesmo os pássaros e outros animais ao tocar a sua lira. Eurídice era uma bela ninfa. Orfeu e Eurídice se amavam, mas este amor os levaria a uma tragédia.

O poeta e a ninfa se casaram. Tamanha sua beleza, Eurídice atraiu a atenção de Aristeu, um apicultor que ficou inflamado de ciúmes. Ela resistiu às suas investidas, mas ele não desistiu e a perseguiu. Eurídice correu, mas acabou tropeçando em uma serpente que a picou. Eurídice morreu e foi para o Hades.

Desesperado, Orfeu pegou sua lira e desceu ao mundo inferior para resgatar sua amada. Após uma série de desafios ele consegue libertá-la, com uma condição: não deveria olhar para ela até que estivessem sob à luz do sol.

No caminho, para garantir que Eurídice o estivesse seguindo, ele olhou para trás. Eurídice voltou à escuridão dos mortos para nunca mais voltar. Orfeu não tinha olhos para mais ninguém. Rejeitava todas as mulheres. Sentindo-se desprezadas, mulheres selvagens mênades o mataram. Um triste fim para o talentoso poeta e sua amada.

Esse mito grego foi a inspiração de uma das maiores realizações de Vinícius de Moraes. Sua obra motivou algumas produções cinematográficas. Vamos conferir algumas dessas obras.

Peça Orfeu da Conceição

Escrita por Vinícius de Moraes, a peça estreou em 25 de setembro de 1956, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Era na verdade um musical, com trilha sonora composta pelo autor em parceria com Antônio Carlos Jobim.

A peça surge a partir do mito de Orfeu, materializando-se nas favelas cariocas, em um feriado de carnaval. Os protagonistas carregam os mesmos nomes da história original. Orfeu é um sambista, e seu amor por Eurídice causa ciúmes em Mira, que representa aquelas mulheres selvagens. Seu ódio é tanto que Mira leva Aristeu a matar Eurídice. Orfeu por fim é também porto por Mira.

Com composições em samba e bossa nova, o mito grego ganha uma roupagem bem brasileira.

Filme Orfeu Negro

Adaptação da obra de Vinícius de Moraes, o filme ganhou grandes prêmios, como o Oscar, Globo de Ouro e Palma de Ouro do Festival de Cannes. A trilha sonora ficou por conta de Tom Jobim e Luís Bonfá, com algumas músicas inclusas do próprio Vinícius e Antônio Maria.

  • Ano: 1959
  • Direção: Marcel Camus
  • Roteiro: Marcel Camus e Jacques Viot
  • Protagonistas: Breno Mello (Orfeu) e Marpessa Dawn (Eurídice)

Filme Orfeu

Foi uma refilmagem do filme de 1959, com algumas adaptações. As músicas foram compostas por Caetano Veloso. Como destaque, a música Sou você, interpretada por Toni Garrido, protagonista do filme, ficou bem conhecida nacionalmente.

Dentre vários prêmios recebidos, destacamos o de melhor filme no Festival Internacional de Cinema de Cartagena e no Grande Prêmio Cinema Brasil.

  • Ano: 1999
  • Direção: Cacá Diegues
  • Roteiro: Cacá Diegues, João Emanuel Carneiro, Hermano Vianna, Paulo Lins e Hamilton Vaz Pereira
  • Protagonistas: Toni Garrido (Orfeu) e Patrícia França (Eurídice)

Por sua riqueza de conflitos e seu tema atemporal, o romance entre Orfeu e Eurídice é capaz de inspirar novas obras que se adaptam facilmente às mais diversas culturas.

Se assistiu a alguma dessas adaptações, não deixe de compartilhar conosco nos comentários.

Anúncios