As palavras são vivas e se modificam no decorrer do tempo. O que é considerado um modismo ou um desvio da norma culta, pode na realidade ser uma evolução ou modificação de um vocábulo. “Você” é um bom exemplo. A palavra você antigamente era bem diferente e se modificou bastante com o tempo.

O mais interessante é como a sua evolução continua a ocorrer diante de nossos olhos, tanto na modalidade escrita, quanto na fala.

Longe de fazer um julgamento de se essa evolução é boa ou ruim, é bom lembrar que isso é uma dinâmica normal em qualquer língua, apesar das regras gramaticais normativas determinarem limites.

Acompanhe conosco um breve histórico da evolução da palavra você.

Você antigamente até hoje

Vossa Mercê > Vossemecê > Vosmecê > Vancê > Você

você antigamenteAssim como os outros pronomes pessoais de tratamento, “você” começava com “Vossa”, como em Vossa senhoria, Vossa santidade, etc. Mercê significa “graça”, uma forma de tratar aqueles a quem não era apropriado tratar pelo pronome “tu”, por uma questão de intimidade.

Essa diferença de tratamento entre “você” e “tu” ainda existe em alguns países de língua espanhola, alternando-se entre as formas “usted” (você) e “tu”, de acordo com o grau de intimidade. Isso também ocorre no Brasil em algumas regiões como no norte e nordeste.

Sendo um pronome de tratamento, “você” deve ser utilizado em 3ª pessoa. Como em “Você pagou as contas?”. > “Ele pagou as contas?”.

Interessante que nos lugares do Brasil onde as pessoas falam “tu”, o verbo também é conjugado na 3ª pessoa. Obviamente isso é um desvio da norma culta, mas aceitável na conversa informal.

O pronome pessoal de tratamento aceitável na norma culta hoje é o “você”. Mas já começamos a observar já há algum tempo outras variações na escrita e na fala.

Formas escritas como “vc” e até “c” já são bem comuns, em especial em trocas de mensagens de texto e na internet. Isso se dá pela facilidade e agilidade na escrita sem comprometer a compreensão . Vale ressaltar que, de forma alguma, essas formas são aceitáveis em textos formais como em redações, textos empresariais, entre outros.

Variações de você na fala

O uso da linguagem impõe modificações no sistema. Na era da informação usamos a escrita a todo tempo. Logo, as adaptações e evoluções na escrita são inevitáveis. Se na escrita o “você” evoluiu, imagina na oralidade.

Já faz tempo que as pessoas não costumam pronunciar vo-cê. As pessoas no dia a dia falam “cê”. E essa modificação com letras cortadas ocorre em diversas palavras. Observe a transliteração de uma corriqueira:

“Cê vai trabalhá manhã?” > Você vai trabalhar amanhã?

Isso varia de região para região. Por exemplo, em alguns lugares é comum escutar ocê.

E você no futuro?

Então vamos voltar à evolução do você:

Vossa Mercê > Vossemecê > Vosmecê > Vancê > Você > ocê > vc > c > ? (Acho que não dá mais não).

Observando como era você antigamente, não temos como prever as modificações e entender até que ponto elas serão absorvidas pela gramática normativa (dos livros). Basta esperar e fazer um uso adequado dessas variações, dentro do contexto correto.

Já percebeu outras variações no uso da palavra você? Deixe nos comentários e participe!

 

Anúncios